Super Manhã 89
Das 08:30 às 10:59
com Chocolate e Jacutinga

Informativo 89

Grêmio toma a virada do River e cai na semi da Libertadores

Leonardo abriu a conta nos minutos finais da primeira etapa enquanto Santos Borré e Pity Martínez, em pênalti assinalado pelo Árbitro de Vídeo, classificaram o Millonario à final

cenário era ideal para o Grêmio se manter com a vantagem obtida no primeiro jogo frente ao River Plate e ir a decisão da Libertadores até os 35 da etapa final. À partir daí, o sonho na Arena Grêmio virou um verdadeiro pesadelo e, com dois gols em 13 minutos, o time de Buenos Aires saiu de eliminado a primeiro ocupante da decisão da Libertadores 2018.

Atrás do marcador global, o River Plate foi contundente ao já assustar a meta defendida por Marcelo Grohe com um minuto de bola rolando. Após grande passe dado por Juan Fernando Quintero, Lucas Pratto bate cruzado e força o goleiro gremista a trabalhar mesmo que para acompanhar o movimento da bola em direção a lateral.

Os argentinos demonstravam bastante agressividade em impor seu estilo de jogo calcado no jogo de passes rápidos mesmo atuando como visitante, usando vez ou outra do artifício do chute a média distância para furar a marcação brasileira. Por outro lado, favorecido pelo regulamento, a postura dos anfitriões era de ser mais cauteloso e apostar no contra-ataque a ser cedido por seu oponente, mas tinha pouca efetividade principalmente por não conseguir ser rápido na transição da defesa para o ataque.

Aos 27 minutos, o River teve aquela que foi a sua melhor oportunidade de abrir a conta na Arena com Exequiel Palacios. Após ataque pela direita onde a bola espirrou na zaga do Grêmio, o camisa 15 bateu com consciência, de maneira colocada, e viu a bola passar muito perto do ângulo esquerdo de Marcelo Grohe. O suficiente para deixar Gallardo, nos camarotes, e Martín Biscaya, à beira do gramado, com visíveis expressões de profunda lamentação.

Alívio Tricolor

Mesmo com o momento técnico e de ânimo sendo muito mais favorável ao time visitante, quem conseguiu fazer explodir o estádio em Porto Alegre foi o time de Renato Portaluppi. Depois de cruzamento desviado pela zaga argentina, Leonardo pega o rebote de primeira e conta com o desvio em Milton Casco para deslocar completamente a trajetória do alcance de Franco Armani.

Volta mais segura

Depois do intervalo, a estrutura de marcação do Grêmio parecia mais acertada e com posicionamento mais preparado as investidas do River. Com isso, o jogo do time adversário foi aos poucos sendo “minado” por cortes seguidos e um importante ganho de confiança era investido no time gaúcho. Algo que se tornou ainda mais favorável com a entrada de Everton antes dos 10 minutos no lugar de Maicon que sentiu dores na perna.

Podia “matar”, mas Armani cresceu

Aos 21 minutos, Everton recebeu um excelente lançamento dado por Cícero do jeito que ele gosta, na base da velocidade e com campo para chegar em totais condições de finalizar frente à frente com Armani. Contudo, falou mais alto a habilidade do goleiro argentino em pegar com os pés a finalização do camisa 11.

Final de fortes emoções!

Depois da excelente chance desperdiçada pelo ataque do atual campeão da Libertadores, os visitantes parecem ter assimilado bem a necessidade de retomar suas ações ofensivas e, mesmo com menos perigo do que foi nos primeiros 45 minutos, seguia apostando principalmente nas bolas aéreas na base do “abafa”. E foi assim que conseguiu, em bola cruzada por Pity Martínez pelo lado esquerdo e cabeceada por Santos Borré, deixar tudo igual na capital do Rio Grande do Sul.

ReVARravolta e argentinos na final

Precisando de mais um gol para ir a final, uma chance dourada apareceu aos 41 minutos quando Ignacio Scocco tenta chutar e Bressan, com o braço aberto, bate na bola antes dela ir para a linha de fundo. Após solicitar a atuação do Árbitro de Vídeo, o árbitro uruguaio Andrés Cunha marcou a penalidade e ainda expulsou o zagueiro da equipe brasileira.

Depois de um longo tempo de e paralisação da partida, mais precisamente oito minutos, Pity Martínez foi para a bola e encheu o pé no canto oposto ao que caiu Marcelo Grohe para colocar o River Plate na decisão da Copa Libertadores de 2018.

  • 31 - out/2018
  • Grêmio toma a virada do River e cai na semi da Libertadores

    Leonardo abriu a conta nos minutos finais da primeira etapa enquanto Santos Borré e Pity Martínez, em pênalti assinalado pelo Árbitro de Vídeo, classificaram o Millonario à final

    cenário era ideal para o Grêmio se manter com a vantagem obtida no primeiro jogo frente ao River Plate e ir a decisão da Libertadores até os 35 da etapa final. À partir daí, o sonho na Arena Grêmio virou um verdadeiro pesadelo e, com dois gols em 13 minutos, o time de Buenos Aires saiu de eliminado a primeiro ocupante da decisão da Libertadores 2018.

    Atrás do marcador global, o River Plate foi contundente ao já assustar a meta defendida por Marcelo Grohe com um minuto de bola rolando. Após grande passe dado por Juan Fernando Quintero, Lucas Pratto bate cruzado e força o goleiro gremista a trabalhar mesmo que para acompanhar o movimento da bola em direção a lateral.

    Os argentinos demonstravam bastante agressividade em impor seu estilo de jogo calcado no jogo de passes rápidos mesmo atuando como visitante, usando vez ou outra do artifício do chute a média distância para furar a marcação brasileira. Por outro lado, favorecido pelo regulamento, a postura dos anfitriões era de ser mais cauteloso e apostar no contra-ataque a ser cedido por seu oponente, mas tinha pouca efetividade principalmente por não conseguir ser rápido na transição da defesa para o ataque.

    Aos 27 minutos, o River teve aquela que foi a sua melhor oportunidade de abrir a conta na Arena com Exequiel Palacios. Após ataque pela direita onde a bola espirrou na zaga do Grêmio, o camisa 15 bateu com consciência, de maneira colocada, e viu a bola passar muito perto do ângulo esquerdo de Marcelo Grohe. O suficiente para deixar Gallardo, nos camarotes, e Martín Biscaya, à beira do gramado, com visíveis expressões de profunda lamentação.

    Alívio Tricolor

    Mesmo com o momento técnico e de ânimo sendo muito mais favorável ao time visitante, quem conseguiu fazer explodir o estádio em Porto Alegre foi o time de Renato Portaluppi. Depois de cruzamento desviado pela zaga argentina, Leonardo pega o rebote de primeira e conta com o desvio em Milton Casco para deslocar completamente a trajetória do alcance de Franco Armani.

    Volta mais segura

    Depois do intervalo, a estrutura de marcação do Grêmio parecia mais acertada e com posicionamento mais preparado as investidas do River. Com isso, o jogo do time adversário foi aos poucos sendo “minado” por cortes seguidos e um importante ganho de confiança era investido no time gaúcho. Algo que se tornou ainda mais favorável com a entrada de Everton antes dos 10 minutos no lugar de Maicon que sentiu dores na perna.

    Podia “matar”, mas Armani cresceu

    Aos 21 minutos, Everton recebeu um excelente lançamento dado por Cícero do jeito que ele gosta, na base da velocidade e com campo para chegar em totais condições de finalizar frente à frente com Armani. Contudo, falou mais alto a habilidade do goleiro argentino em pegar com os pés a finalização do camisa 11.

    Final de fortes emoções!

    Depois da excelente chance desperdiçada pelo ataque do atual campeão da Libertadores, os visitantes parecem ter assimilado bem a necessidade de retomar suas ações ofensivas e, mesmo com menos perigo do que foi nos primeiros 45 minutos, seguia apostando principalmente nas bolas aéreas na base do “abafa”. E foi assim que conseguiu, em bola cruzada por Pity Martínez pelo lado esquerdo e cabeceada por Santos Borré, deixar tudo igual na capital do Rio Grande do Sul.

    ReVARravolta e argentinos na final

    Precisando de mais um gol para ir a final, uma chance dourada apareceu aos 41 minutos quando Ignacio Scocco tenta chutar e Bressan, com o braço aberto, bate na bola antes dela ir para a linha de fundo. Após solicitar a atuação do Árbitro de Vídeo, o árbitro uruguaio Andrés Cunha marcou a penalidade e ainda expulsou o zagueiro da equipe brasileira.

    Depois de um longo tempo de e paralisação da partida, mais precisamente oito minutos, Pity Martínez foi para a bola e encheu o pé no canto oposto ao que caiu Marcelo Grohe para colocar o River Plate na decisão da Copa Libertadores de 2018.

    - Sites para rádios com stream e App grátis - microsysteminfo.com.br -
    Eric Sogard Womens Jersey