Informativo 89

Promotor eleitoral pediu cassação de diplomas de prefeito e vice prefeita de Assu

gustavo e sandra

O Ministério Público solicitou a Justiça Eleitoral à cassação do diploma do prefeito do Assú, Gustavo Soares e também da vice-prefeita Sandra Alves. O pedido partiu do promotor eleitoral Daniel Lobo Olímpio que pediu ao juiz eleitoral da 29ª Zona com sede em Assú Marivaldo Dantas de Araújo a cassação dos diplomas. O Magistrado recebeu o pedido da promotoria e mandou notificar o prefeito e a vice-prefeita para apresentar defesa no prazo de cinco dias sobre a denúncia oferecida pelo MP Eleitoral.

O pedido do promotor eleitoral está baseado na decisão STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a proibição das doações de empresas a candidatos e partidos políticos e que considerou as doações inconstitucionais.  Gustavo e Sandra são acusados de receberam financiamento de pessoa jurídica para a campanha da cerâmica Semar, empresa que tem como dono o seu marido Helder Cortez Alves. Segundo informações oriundas da assessoria de imprensa o chefe do executivo ainda não foi notificado por isso ainda não pronunciou sobre o assunto.

Com a possibilidade de cassação dos diplomas, fato que poderá ocorrer ou não de acordo com o andamento do processo a conseqüência imediata seria a perda dos mandatos. Isso acontecendo, o Vereador e presidente da Câmara João Wálace é o primeiro na linha de sucessão para assumir a Prefeitura do Assu.

  • 18 - jan/2017
  • Promotor eleitoral pediu cassação de diplomas de prefeito e vice prefeita de Assu

    gustavo e sandra

    O Ministério Público solicitou a Justiça Eleitoral à cassação do diploma do prefeito do Assú, Gustavo Soares e também da vice-prefeita Sandra Alves. O pedido partiu do promotor eleitoral Daniel Lobo Olímpio que pediu ao juiz eleitoral da 29ª Zona com sede em Assú Marivaldo Dantas de Araújo a cassação dos diplomas. O Magistrado recebeu o pedido da promotoria e mandou notificar o prefeito e a vice-prefeita para apresentar defesa no prazo de cinco dias sobre a denúncia oferecida pelo MP Eleitoral.

    O pedido do promotor eleitoral está baseado na decisão STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a proibição das doações de empresas a candidatos e partidos políticos e que considerou as doações inconstitucionais.  Gustavo e Sandra são acusados de receberam financiamento de pessoa jurídica para a campanha da cerâmica Semar, empresa que tem como dono o seu marido Helder Cortez Alves. Segundo informações oriundas da assessoria de imprensa o chefe do executivo ainda não foi notificado por isso ainda não pronunciou sobre o assunto.

    Com a possibilidade de cassação dos diplomas, fato que poderá ocorrer ou não de acordo com o andamento do processo a conseqüência imediata seria a perda dos mandatos. Isso acontecendo, o Vereador e presidente da Câmara João Wálace é o primeiro na linha de sucessão para assumir a Prefeitura do Assu.

    - Sites para rádios com stream e App grátis - microsysteminfo.com.br -